A área de Ação Social e Saúde do município do Cartaxo criou uma Bolsa de Voluntariado, cujo objetivo é apoiar as Instituições Privadas de Solidariedade Social (IPSS) e outras instituições de apoio social que atuam no concelho.

Na mesma lista incluem-se também munícipes e famílias em situação de isolamento profilático que necessitem de aceder a medicamentos, alimentos ou outros bens de primeira necessidade.

Numa primeira fase, esta bolsa será constituída por trabalhadores das instituições que constituem a Rede Social, e que se voluntariem para a integrar. A ideia contempla três ações:

1.      entrega de alimentos a famílias desfavorecidas que são apoiadas por grupos cujos voluntários estão sinalizados como grupos de risco;

2.      apoio a idosos e munícipes com fragilidades de saúde sem suporte familiar ou a famílias em quarentena, para deslocações necessárias à aquisição de bens de primeira necessidade ou medicamentos;

3.      apoio a IPSS caso em situação de rutura, no que respeita às suas próprias equipas de técnicos, ou voluntários habituais.

O encerramento dos centros de dia, medida decretada pelo Governo com o objetivo de proteger os idosos – grupo de risco da COVID-19 –, “obriga a um esforço redobrado para as IPSS no apoio a idosos que têm de se manter nas suas residências, alguns sem apoio familiar, passando a estar em situação de isolamento durante largas horas”, lembrou Pedro Ribeiro, presidente da Câmara Municipal, citado em comunicado de imprensa.

O município apela a que “todos aqueles que sintam vontade de ajudar e que não integrem grupos de risco”, quer por serem portadores de doenças crónicas, quer por terem uma idade mais avançada, “contactem a área de Ação Social e Saúde para integrarem esta Bolsa de Voluntários”.

O autarca destaca a importância de “nos organizarmos para ajudar os que precisam de apoio”, e acrescenta que a Covid-19 “vai colocar-nos à prova durante muito tempo”.

Para Pedro Ribeiro, “todos vamos ser necessários para garantir o nosso próprio futuro”, apelando a que se deva “apoiar quem precisa de apoio, mas também a manter uma defesa ativa da saúde”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *