A Comissão Municipal de Proteção Civil reuniu-se ontem, dia 2, no Centro de Promoção Vitivinícola, para debater o plano de resposta do Município ao COVID-19, também conhecido como coronavírus.

A sessão contou com a presença e esclarecimentos de Helena Sousa, Delegada de Saúde. Na mesma, juntaram-se ainda os coordenadores técnicos do município, dirigentes associativos locais, assim como responsáveis das IPSS e das escolas do concelho.

Para questões relacionadas como o vírus, foi criado um email especifico – sos.coronavirus@cm-cartaxo.pt -, e serão feitas sessões de esclarecimento descentralizadas, como informou Pedro Ribeiro, presidente da Câmara Municipal, nesta sessão.

Segundo a Delegada de Saúde, a própria “definição de caso suspeito tem vindo a sofrer ajustamentos ao longo dos dias”. Ou seja, não é apenas apresentar um quadro clínico com febre, tosse e dificuldade respiratória, mas também “alguma relação epidemiológica a uma área com a doença ativa, uma viagem a países com transmissão comunitária ativa, que neste momento não é apenas a China, mas também o Médio Oriente e, na Europa, Itália”.

O contacto com um caso confirmado da doença, onde se incluem os profissionais de saúde que estiveram em contacto com um caso confirmado, também são situações a que se deve prestar especial atenção.

Helena Sousa reforçou as formas recomendadas pela Organização Mundial de Saúde, e reiteradas pela DGS, para proteção e prevenção da propagação do Covid-19:

  • a adoção de medidas de etiqueta respiratória (tossir com lenço de papel ou com o cotovelo fletido);
  • a correta higienização das mãos (lavar frequentemente com água e sabão ou utilizar soluções com álcool);
  • algum distanciamento social (evitar contacto com pessoas com infeções respiratórias ou cumprimentos mais próximos).

Também presente nesta sessão, o Técnico de Saúde Ambiental Sérgio Lourenço deu a conhecer o atual plano de contingência do Centro de Saúde do Cartaxo.

Este plano inclui várias medidas de prevenção mas também de ação, caso o Centro de Saúde seja confrontado com um caso suspeito de coronavírus, que inclui diversas possibilidades, “desde a manifestação da preocupação aos técnicos do atendimento até ao caso em que o doente só manifesta a possibilidade de estar infetado perante um médico, o que transformará o gabinete deste na sala de isolamento recomendada pela DGS”.

Também a preparar o plano de contingência para o município e para os edifícios da responsabilidade deste, está o Serviço Municipal de Proteção Civil, em conjunto com o Gabinete de Segurança e Higiene no Trabalho.

Pedro Ribeiro informou ainda que os planos de contingência serão depois levados à Comissão Municipal, “pois é da máxima importância sabermos todos o que fazer perante uma situação suspeita, e havendo aqui representantes de quase toda a nossa comunidade, estamos conscientes de que este é um risco possível”.

No final da sessão, o autarca manifestou também preocupação com os eventos que estão agendados a curto e médio prazo, como o Cartaxo Youth Summit, já no próximo fim de semana, e a Festa do Vinho, “que exigem ponderação, tal como outros estão a ser ponderados, concelho a concelho, país a país – vamos, em conjunto, avaliar se, perante a evolução desta situação, teremos de cancelar ou adiar”.

O coronavírus, ou COVID-19, foi identificado pela primeira vez em dezembro do ano passado na Cidade de Wuhan, na China. A infeção causada pode ser semelhante a uma gripe comum ou apresentar-se como uma doença mais grave, como uma pneumonia. Ainda que a via de transmissão não seja conhecida, sabe-se, para já, que existe transmissão pessoa a pessoa.

Até ao momento, existem dois casos confirmados em Portugal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *