Terminou ontem, domingo, a Feira de Todos os Santos. O evento, que decorreu ao mesmo tempo que a Expocartaxo, contou com cerca de 70 expositores e mais de uma centena de feirantes.

O grupo de música popular Cantares Chãs d’Ourique atuou na sessão de abertura do certame, cantando um reportório que “percorreu o território português”, com especial destaque para o Fandango do Cartaxo.

Ainda no mesmo dia, destaque para a mega Festa de Halloween, com o espetáculo I Love Reggaeton, do DJ Moura.

Esta cerimónia contou com a presença de autarcas e presidentes de Junta de Freguesia, da Assembleia Municipal e da Câmara Municipal, vice-presidente da Câmara e vereadores, representantes de associações e coletividades, de forças de segurança e de instituições públicas e privadas do concelho e da região, mas também com uma comitiva da cidade romena de Pucioasa, cidade geminada com o Cartaxo desde 1998.

Até domingo, foi possível provar os produtos típicos da gastronomia regional, na área das tasquinhas, mas também nas bancas de venda e nas diversas apresentações gastronómicas, dedicadas às freguesias do concelho do Cartaxo.

Nas ruas, estava presente a feira franca, tradicional, onde “os frutos da época, frescos ou secos, com as suas cores e aromas, terão papel de destaque”. Pelo meio ainda foi possível encontrar uma grande variedade de produtos, como objetos de decoração ou utilitários, roupas ou guloseimas, entre outros.

Na Feira de Todos os Santos do Cartaxo também não faltaram os carrosséis, “fonte de diversão, cor e música”, e que fizeram esta edição “inesquecível”.

Educação e Cultura serão as “prioridades” para o próximo ano

Na cerimónia de abertura, o presidente da Câmara Municipal, Pedro Ribeiro, destacou ainda a aprovação do orçamento municipal para o próximo ano.

As áreas da Educação e da Cultura serão, nas palavras do presidente, e citado em comunicado de imprensa, as grandes prioridades, pois “o investimento nestas áreas é aquele que poderá, com toda a certeza, assegurar que os nossos jovens possam ter um futuro nesta terra que os viu nascer e crescer”.

Para Augusto Parreira, presidente da Assembleia Municipal, o início da Feira de Todos os Santos marca um importante momento para toda a comunidade do concelho do Cartaxo, sendo “provavelmente, na nossa memória coletiva, a data mais importante a assinalar”, como afirmou na cerimónia, e citado em comunicado.

Também Pedro Ribeiro, reforçou, no seu discurso, o papel e o trabalho de todos os funcionários que “diariamente trabalham e dão o melhor de si pelo Cartaxo – tudo o que podem ver aqui foi feito com a prata da casa”.

Em 2020 haverá Feira do Futuro. Munícipio quer investir no turismo

Pedro Ribeiro anunciou ainda a realização, em 2020, da Feira do Futuro. Esta feira vem dar resposta às necessidades que o autarca diz sentir por parte dos empreendedores locais , “uma grande vontade de continuar a investir na nossa terra, mas que esbarra na falta de recursos humanos especializados”.

“Num concelho que precisa criar riqueza, os recursos humanos têm de estar preparados para dar resposta”, e esta Feira do Futuro, ao juntar empresários, investidores, todo o universo escolar e de ensino, centros de emprego e formação profissional, “permitirá que instituições e empresas trabalhem em conjunto para uma solução que dá resposta a necessidades mútuas e ao interesse da nossa comunidade”.

Aliando a vontade de investimento dos empreendedores locais e a necessidade de dar resposta aos turistas que procuram o concelho do Cartaxo, o presidente da câmara destacou também os pedidos de licenciamento que deram entrada no Município para a construção de cinco hotéis, dois deles de quatro estrelas.

 “Queremos ser o Ribatejo às portas de Lisboa, este é o nosso desígnio”, afirmou o presidente da câmara. “Temos todas as qualidades para uma aposta forte no turismo, temos campo, temos qualidade de vida, temos o rio Tejo, a nossa gastronomia, o nosso folclore, os nossos cantares, o nosso Fandango – cuja candidatura a Património Cultural Imaterial da Humanidade, lideramos”, acrescentou.

“E temos o nosso vinho, de grande qualidade, produzido nas nossas terras”, destacou o autarca, lembrando que, atualmente, “o enoturismo é responsável pela maior fatia de turistas que escolhe Portugal como destino, são cerca de 2,5 milhões de turistas que nos procuram pela nossa gastronomia e pelo nosso vinho, e nós temos de saber dar resposta”.

Fonte: CM Cartaxo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *