A Free To Be, associação sem fins lucrativos e que tem como propósito educar para a sustentabilidade, esteve à conversa com o Correio do Cartaxo e confessou que um dos objetivos futuros é abrir, no Cartaxo, a primeira bio-escola do país, que funcionará ainda como sede oficial da Free to Be.

Se costuma estar atento ao Facebook, provavelmente já reparou nas sessões de Chikung ou de Biodanza divulgadas em Azambuja e em Aveiras, respetivamente. Estas aulas são, pois então, promovidas por esta associação, que nasceu em maio de 2018, através das conversas entre Maria de Jesus Costa, Susana Lucas e Cristina Simões, que praticavam Chikung juntas.

O grande objetivo, agora, é abrir no Cartaxo, para “criar a primeira escola auto-sustentável do país”, como nos contou Susana, e trazer para ali as aulas, que passam assim a ser realizadas com maior frequência.

Em menos de um ano, a Free to Be cresceu no número de colaboradores – atualmente já são 9 nos corpos sociais e que trabalham de forma voluntária-, e pretendem “iniciar uma colaboração estreita com a Câmara Municipal do Cartaxo”, como explica a também professora universitária, que abriu as portas da sua casa para criar a sede provisória da Free to Be, em Aveiras de Baixo.

Conheça melhor a Free to Be na edição deste mês do Correio do Cartaxo

Reportagem: Rute Fidalgo

Imagem: Facebook Free to Be

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *