4 maio 2018

Presidente da Câmara Municipal do Cartaxo nega que a autarquia esteja em rutura financeira.

A notícia recentemente divulgada pelo Conselho de Finanças públicas dava conta das dificuldades financeiras do município, mas Pedro Magalhães Ribeiro contesta em absoluto.

No relatório sobre a Execução Orçamental da Administração Local 2017, divulgado a 4 de abril, o Cartaxo era um dos cinco municípios que apresentava uma dívida total superior em três vezes a média da receita corrente líquida entre 2014 e 2016 (rácios de 300%). Este é um cenário que, segundo a Lei das Finanças Locais, representa uma situação de rutura financeira.

(Foto: Rui Bernardes – Image Photo)

Pedro Magalhães Ribeiro afirmou que quando assumiu a presidência, em 2013, “os fundos disponíveis eram de 55, 7 milhões de euros negativos, valor que no final de 2017 se situava nos 237 mil euros negativos e agora é positivo”. Também a dívida, que em outubro de 2013 era de 29, 1 milhões de euros, baixou para is 16,1 milhões no final de 2016. a 31 de dezembro de 2017 o valor da dívida tinha descido para os 706 mil euros.

O autarca salientou o “enorme esforço” em tirar o município da rutura financeira e da “falta de credibilidade” e vai apresentar as contas relativas ao exercício de 2017. Para Ribeiro, estes dados servirão para mostrar que a situação apontada no relatório do CFP “já não é a realidade do concelho”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *