15/16 Janeiro de 2017

Vila Chã de Ourique recebeu ontem à noite a sessão de câmara, numa noite fria mas muito participada. Se não pode estar presente, saiba tudo connosco…

Vila Chã de Ourique, recebe sessão

No período antes da ordem do dia, José Louza da EcoCartaxo, pediu ajuda para a “perseguição ” que os verdadeiros amigos e entusiastas do Tejo estão a ser alvo por parte de supostas empresas poluidoras, Aliás, Arlindo Marques, está mesmo nesta altura a ser avo de um processo de acusação que Veloso, considera no mínimo ridículo e relembrou o artigo 66 da Constituição portuguesa.  Ainda na área do Ambiente, foi colocada em causa a utilização de herbicidas por parte do município, tendo o presidente da câmara, Pedro Ribeiro, assegurado que”só são utilizados produtos devidamente certificados e autorizados pelas entidades oficiais”. Depois, Lina Venda,  (na foto) que ao contrário do apelido, não consegue vender uma propriedade porque o processo de 2002, “desapareceu” dos serviços urbanísticos. E sem esses documentos o negócio, pode ficar sem efeito. Lina deu 8 dias à câmara para resolver a situação.

Outra situação não menos delicada, é aquela que se refere ao Rancho Folclórico de Vila Chã de Ourique que, segundo o testemunho de uma antiga dirigente, Paula Abade, foi “expulso do Centro Social Ouriquense”. “O rancho folclórico mais antigo do concelho e até de todos o Ribatejo (81 anos de existência) é assim um “sem-abrigo”. O presidente Pedro Ribeiro lamentou a situação a que se chegou, a par do próprio presidente da junta de freguesia, Vasco Casimiro, que esperam um diálogo de bom senso entre todos numa próxima reunião.

Nesta sessão Pedro Ribeiro, teve ainda oportunidade que faz parte dos planos do executivo, lançar as bases para um equipamento polidesportivo na freguesia de Vila Chã, já preparado de raiz para que no futuro possa vir a ser coberto. Aproveitou ainda para lançar um desafio a todas as coletividades do concelho, para que revejam as condições de segurança das instalações, de modo a evitar tragédias como a da recente Tondela. A vereadora Ana Bernardino, também se manifestou solidária com esta localidade e foi mais longe, propondo uma ação de formação ao nível dos dirigentes associativos em conjunto com os bombeiros e Proteção Civil do Cartaxo, para que estes possam pelo menos ter um conhecimento básico das medidas que devem tomar em caso de emergência.

Ainda nesta sessão foram abordados outros temas que avançaremos na nossa edição impressa de 26 de janeiro

 

 

 


                    

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *